domingo, janeiro 06, 2008

Uma importante contribuição brasileira para a presença da lusofonia na Internet

4 comentários:

Anónimo disse...

Qual é a piada? Só confirma que a nódoa cai no melhor pano... Francamente, sempre tão interessante e aparentemente sensato, descaiu-se e caiu aqui bem fundo. Não dá para retirar?

João Paulo Esperança disse...

Não me passaria pela cabeça chamar "nódoa" à senhora do vídeo ou ao seu desempenho. Ou refere-se a mim? Mas tem razão numa coisa: o título é provocatório. Pretendia - talvez sem sucesso - brincar com o facto de este ser um dos vídeos em português mais vistos do youtube. Daí a "importante contribuição brasileira para a presença da lusofonia na Internet"... Não vejo o vídeo com olhos fundamentalistas como os polícias do "politicamente correcto". Repare que uma das etiquetas que coloquei é "info-excluídos"... pois olhe que na verdade uma grande parte da minha própria família é constituída também por info-excluídos, e ainda há dias eu mostrava este vídeo no seio familiar brincando com alguém por causa das suas dificuldades em repetir a tarefa que era pedida à senhora do vídeo. Repare que se eu fosse fazer uma tarefa que não faz parte das minhas competências (plantar néli [arroz] na várzea, por exemplo) seria facilmente objecto de ridículo, e não ficaria ofendido por as pessoas se rirem das minhas dificuldades. O humor é saudável.
Por outro lado, e como deve saber, este vídeo acabou por ser um sucesso da comédia no Brasil, muito para além dos limites da Internet. Verifiquei antes de fazer o post, e encontrei na net notícias e vídeos de programas televisivos de variedades, talk shows, etc, com a Dona Sónia e o marido como convidados.
Relaxe e divirta-se um pouco. O mundo torna-se menos cinzentão.

Anónimo disse...

É de lascar!
Alfredo
Brasil

Andréa Ilha disse...

Olá, J.P.
Eu, que sou brasileira, não conhecia o vídeo em questão. De fato, como respondes ao Anónimo, o humor é saudável. Acrescentaria que o humor é particular, porque algo que faz rir a um alguém não fará a um outro. Nada mais natural, afinal. Quanto ao que o Anónimo disse (que a nódoa cai no melhor pano), a ti cabe o adjetivo de "melhor pano", e a nódoa é a manutenção do vídeo no teu blogue.
Soube que esse vídeo fez grande sucesso aqui no Brasil, assim como vários outros em que há pessoas que escorregam na fala. Muito se ri disso, e acho que a coisa mais engraçada disso tudo é que, por aqui, há bem poucos que não escorreguem apenas propositadamente na língua falada. Que dirá na escrita!

Mas, caro JP, quero mesmo falar da alegria que para mim é ter encontrado teu blogue neste momento da minha vida. Estou terminando um Mestrado em Literatura Comparada na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Há alguns dias, tive a epifania de trabalhar com algum escritor timorense de língua portuguesa, porque não conheço trabalhos acerca desse tema por aqui. Iniciei minha pesquisa na rede mundial e te encontrei! Confesso que não o conhecia, tampouco a teu trabalho. Descobri, ainda, o autor Luís Cardoso, que também não conhecia. Acaso é o único escritor conhecido no Timor-leste? Não encontro nada sobre outros...
Pois bem, caro JP, toda essa carta é para te perguntar: como faço para adquirir um exemplar de algum livro desse autor? Aqui no Brasil talvez seja publicado apenas em maio. Em páginas como amazon.com não consegui encontrá-lo à venda, também. Será que tens como me ajudar quanto a isso?

Minha ideia para o Mestrado é apresentar uma literatura timorense, uma cabo-verdiana ou moçambicana (andei pensando no Saúte,mas, argh!, também nada de livro dele por aqui!) e um filme português que mostrem os respingos da revolução dos cravos em manifestações artísticas dos três países. Algo assim, ainda meio enevoado em minha mente...

Claro que, agora que conheci um pouco do teu trabalho, já sei onde encontrar algum aporte teórico. E fico contente por isso!

Aguardo o teu contato, se isso te for possível, e desde já te agradeço.

Sucesso!
(ah! tua família é um amor!)